Atualmente o consumo do psyllium está na moda, muita gente anda falando dele nas redes sociais, mas será que ele é realmente eficaz? Como podemos incluí-lo no nosso dia a dia?

O psyllium é a casca retirada das sementes de uma planta do gênero Plantago. Essa casca é rica em mucilagem, fibras solúveis, insolúveis e alguns óleos essenciais para o nosso organismo.

Já há vários estudos que confirmam a sua eficácia e benefícios para nossa saúde.

Por ser rico em mucilagem, o psyllium tem a capacidade de absorver e reter altas quantidades de água podendo até dobrar de volume. Com essa retenção de água, em questões de minutos, o psyllium passa a formar um gel denso que é lentamente absorvido, por isso dá sensação de saciedade por um longo período de tempo.

Os estudos também apontam que o psyllium é capaz de aumentar o tempo de absorção intestinal além de promover a sensação de saciedade por um período até 17% maior do que uma alimentação sem psyllium.

Tendo o seu volume duplicado pela absorção de água e sendo rico em fibras solúveis e insolúveis, o psyllium auxilia no aumento do bolo fecal, regulariza a frequência de eliminação dos resíduos fecais e até mesmo regulariza a consistência das fezes facilitando todo o trânsito intestinal.

Para obter esses benefícios, basta ingerir 8g de psyllium todos os dias e consumir bastante água (mínimo de 2 litros) para que a formação do gel e os benefícios que foram comprovados possam realmente apresentar seus efeitos. Esse produto é disponível como a própria mucilagem e em também em cápsulas.

Vale lembrar que o psyllium pode ser consumido junto com sua comida favorita (como uma farinha/farofa), adicionado a shakes, saladas, panquecas e nas receitas de pães e bolos! Ele é costuma aparecer em muitas receitas lowcarb, pois promove maciez à massa do pão ou bolo, sem elevar os carboidratos das receitas, agindo como se fosse o glúten!

Aliás, ele também pode ser utilizado com a mesma função em receitas sem glúten e substitui também os ovos em receitas de pães e bolos veganos!

Referências

PAL, S.; RADAVELLI-BAGATINI, S. Effects of psyllium on metabolic syndrome risk factors. Obesity Reviews, v. 13, n. 11, p. 1034-1047, 2012.
PUCCIANI, F.; RAGGIOLI, M.; RINGRESSI, M. N. Usefulness of psyllium in rehabilitation of obstructed defecation. Tech Coloproctol, v, 15, n. 4, p. 377-383, 2011.
BOCK, M. de; DERRAIK, J. G. B; BRENNAM, C. M.; BIGGS, J. B.; SMITH, G. C.; CAMERON-SMITH, D.; WALL, C. R.; CUTFIELD, W. S. Psyllium supplementation in adolescents improves fat distribution and lipid profile: a randomizeeed, participant-blinded, placebo-controlled, crossover trial. Plos One, v. 7, n. 7, p. e41735, 2012.